Rio Tejo
Rio Ardila

Douro Internacional
Douro Vinhateiro
Badajoz - Jerumenha
Rio Zêzere
Ribeira de Raia
Lisboa - Alhandra
Seixal
Barreiro
Gaio Rosário/Sarilhos
Ilha do Rato
Ilhas Berlengas
Sapal de Coina
Tróia
Sado Challenge
Sesimbra
Portinho da Arrábida
Cascais
Costa Vicentina
ALQUEVA
 - Granja - Estrela
 - Rio Alcarrache
 - Rio Dejebe
 - Estrela - Mourão
 - Jerumenha/Monsaraz
CANOAGEM / BTT
- A Rota das Minas
RAFTING
- Rio Paiva
BARCOS DRAGÃO
- Regatas / Taça Portugal
FORMAÇÃO
- Técnicas


2018 -COPYRIGTH BY KCT-KAYAK CLUBE DO TEJO NOTÍCIAS I LINKS I LOJA
CONTACTO I HOME I

O Tejo e Lisboa estão de tal forma ligados que só fazem sentido existindo juntos.
Após muitos anos ao longo dos quais o Tejo foi considerado a”a pia de despejos” da cidade, uma nova realidade se avizinha com a mudança de mentalidade por parte da população e muito em particular por parte do poder político.
A par desta situação, o aumento da procura por parte do turismo veio dinamizar a cidade e, consequentemente, o nosso rio Tejo abrindo à população a zona ribeirinha, rivitalizando-a, proporcionando a ligação perdida rio / cidade.
Hoje é com prazer que navegamos rio abaixo e rio acima, os afluentes encontram-se mais despoluidos (caso do Trancão), a fauna e flora recuperam a olhos vistos, ao longo das margens encontramos Flamingos, Patos Reais, Garças, Pilritos, Limosas, Corvos Marinhos, etc. O aumento da captura de peixe também é um excelente indicador, mais espécies e em maior número e peso e, consequentemente mais pescadores.
O Tejo é o nosso local de treino, aos Domingos de manhã o KCT reúne na Marina Expo para realizar a actividade semanal, mesmo com amplitudes de maré elevadas, não é difícil navegar contra a corrente é, isso sim, necessário conhecer como navegar. Raramente a amplitude da vaga é superior a 1 mt, o vento predomina do quadrante Norte sendo normalmente fraco durante a manhã passando para moderado a forte pelas 15H00, a travessia ou a navegação junto ao canal de navegação requer alguma atenção para evitar ser arrastado para Sul.
Lembrar também que devem ser observadas as regras de navegação, estamos num rio com bastante tráfego de embarcações as quais nem sempre cumprem com as regras de cordialidade…
Navegando para Norte/Nordeste e ao sabor da corrente, alcançamos com facilidade a vila de Alhandra, no regresso convém aproveitar a vazante que se faz sentir forte. Navegar para Oeste (foz) leva-nos à parte emblemática da cidade, a Praça do Comércio seguindo-se Alcântara e Belém. Cuidados redobrados nesta zona face ao elevado número de embarcações que se movimentam diariamente, existem alguns locais onde se pode aportar.