Rio Tejo
Rio Ardila

Douro Internacional
Douro Vinhateiro
Badajoz - Jerumenha
Rio Zêzere
Ribeira de Raia
Lisboa - Alhandra
Seixal
Barreiro
Gaio Rosário/Sarilhos
Ilha do Rato
Ilhas Berlengas
Sapal de Coina
Tróia
Sado Challenge
Sesimbra
Portinho da Arrábida
Cascais
Costa Vicentina
ALQUEVA
 - Granja - Estrela
 - Rio Alcarrache
 - Rio Dejebe
 - Estrela - Mourão
 - Jerumenha/Monsaraz
CANOAGEM / BTT
- A Rota das Minas
RAFTING
- Rio Paiva
BARCOS DRAGÃO
- Regatas / Taça Portugal
FORMAÇÃO
- Técnicas


2018 -COPYRIGTH BY KCT-KAYAK CLUBE DO TEJO NOTÍCIAS I LINKS I LOJA
CONTACTO I HOME I

RIO ZÊZERE

O Rio Zêzere é talvez o mais visitado e conhecido dos rios Portugueses pelos canoistas.
A montante da Barragem de Castelo do Bode, os canoistas que gostam dos grandes planos de águas calmas encontram aí alguns dos locais mais bonitos para visitar.
O Lago Azul é um local espectacular que oferece muito boas condições para entrada e saída de água, para além de estacionamento e serviços de restauração.
Muito embora possua alguns troços de águas mais agitadas a montante, é o troço entre a Barragem de Castelo de Bode e a Vila de Constância o mais pagaiado. A sua calmaria e as paisagens que o emolduram, fazem deste troço do rio o mais procurado por grupos de iniciados e de empresas de descidas em kayak.
Navegando ao sabor de uma corrente suave, os canoistas podem desfrutar das paisagens das margens do rio onde pomares e bosques ribeirinhos desempenham um papel fundamental para a sobrevivência de espécies animais e vegetais. Estes locais são o habitat de espécies tais como a Lontra (Lutra lutra), Garça-real (Ardea cinera), Garça-branca-pequena (Egretta garzeta), e Cegonha branca (Ciconia ciconia). Destaque especial para a Boga-portuguesa (Chodrostona lusitanicum) espécie ameaçada e só existente em Portugal. Junto à confluência do Nabão (se houver caudal) as águas adquirem alguma velocidade produzindo nalguns locais acelerações passíveis de provocar uns viranços aos menos experientes.

Município de Constância
No encontro do Zêzere com o Tejo nasceu a antiga Punhete, terra cuja História está intimamente ligada aos rios e às actividades que eles proporcionavam: o transporte fluvial, a construção e a reparação naval, a travessia e a pesca.
D. Sebastião elevou-a a vila e criou o Concelho, em 1571, reconhecendo o desenvolvimento que já então alcançara. D. Maria II, em 1836, mudou-lhe o nome para Constância, em atenção à constância que os seus habitantes demonstraram no apoio à causa liberal.
Terra de sedução e de poesia, diz a tradição que acolheu Luís de Camões por algum tempo, e a memória do Épico faz parte da alma da vila.
Aproveite, visite Constância e não perca por nada deste mundo os petiscos locais.